Uma pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) nas 27 capitais brasileiras revela que, cresceu de 28% para 33% o número de brasileiros que possui intenção de presentear no Natal, mesmo com contas em atraso. Destes, 66% estão com restrição em seus CPFs.

O levantamento também aponta que 15% dos entrevistados admitem ter ficado com o nome sujo em razão das compras feitas no Natal passado. Destes, 9% continuam com o crédito negativado e 7% conseguiram limpar o nome. Em média, o valor das dívidas que levaram à negativação é de R$ 847,17.

Para a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, o recomendável é planejar as despesas de acordo com o orçamento, sempre priorizando a quitação de contas. “Fazer uma lista prévia do que se deseja e pesquisar preços são atitudes mais indicadas para não extrapolar as finanças”, observa.

Os dados da pesquisa ainda revelam que três em cada dez consumidores (26%) que pretendem comprar presentes no Natal admitem gastar mais do que podem, percentual que chega a 32% entre as mulheres e 28% nas classes C e D. Esse número representa um aumento de 7 pontos percentuais em relação ao ano passado, que era de 19%.

Além disso, a pesquisa aponta que 8% dos entrevistados irão negligenciar compromissos financeiros assumidos anteriormente para realizar compras típicas deste período. Por outro lado, 85% não deixarão de pagar alguma conta para adquirir presentes.

Inicialmente foram ouvidas 686 pessoas nas 27 capitais para identificar o percentual de quem pretendia ir às compras no Natal e, depois, a partir de 600 entrevistas, investigou-se em detalhes o comportamento de consumo no Natal. A pesquisa foi realizada entre os últimos dias 07 e 12 de outubro.

Fonte: SPC Brasil

Compartilhe:


Deixe seu comentário: